Agronordeste: Senar inicia novas turmas de assistência técnica em Alagoas

60 fruticultores do município de Palmeira dos Índios começaram a ser atendidos esta semana

Na primeira etapa, técnico de campo faz o diagnóstico em cada propriedade

Maria Eduarda Xavier
Estagiária sob supervisão

O Serviço Nacional de Aprendizagem Rural – Senar Alagoas – iniciou, nessa segunda, 10, o atendimento a duas turmas de fruticultores, no município de Palmeira dos Índios, pelo Programa Agronordeste. Cada turma tem 30 produtores beneficiados. Agora, chega a 360 o número de famílias que estão recebendo assistência técnica e gerencial gratuita no estado.

Os fruticultores que produzem umbu-cajá e pinha em Palmeiras do Índios são atendidos pelos técnicos de campo do programa de Assistência Técnica e Gerencial – ATeG – do Senar Alagoas. Eles deram início à primeira fase do programa, que é o diagnóstico da propriedade.

“Nessa primeira etapa, o técnico de campo realiza o trabalho de forma mais individualizada com os produtores, para entender a situação e os problemas da propriedade e auxiliá-los na construção de um planejamento estratégico de ações”, explica Luana Torres, coordenadora de ATeG do Senar Alagoas.

Outras turmas devem ser iniciadas em breve. Além de Palmeira dos Índios, esta segunda fase do programa Agronordeste beneficiará produtores de São José da Tapera, com um grupo de avicultores; Belo Monte (dois grupos de bovinocultura de corte), Taquarana (um grupo de horticultura), Girau do Ponciano, Traipu e Craíbas (bovinocultura de leite).

O plano de ações do Programa Agronordeste tem duração de dois anos, com a meta de atingir positivamente 1.157 propriedades em Alagoas.

O programa
Conduzido pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento – Mapa –, com o apoio da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil – CNA –, entre outras instituições, o programa tem o objetivo de impulsionar o desenvolvimento econômico e social sustentável do meio rural na região Nordeste.

O Agronordeste foi lançado no último mês de outubro e é voltado para pequenos e médios produtores que já comercializam parte de sua produção, mas ainda encontram dificuldades para expandir o negócio e gerar mais renda e emprego na região onde vivem.