Alagoano conquista prêmio MasterCana Norte/Nordeste de tecnologia e inovação

Edilson Maia criou uma plantadeira que cana capaz de reduzir em até 60% os custos do plantio

Edilson Maia recebe prêmio das mãos do presidente do grupo ProCana Brasil, Josias Messias

O engenheiro agrônomo, produtor de cana-de-açúcar e vice-presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Alagoas – Faeal –, Edilson Maia, é o ganhador do Prêmio MasterCana Norte/Nordeste 2019/20 na categoria Tecnologia e Inovação. A solenidade de premiação aconteceu na noite desta quinta-feira, 6, no Spettus Steak House Boa Viagem, em Recife-PE.

Maia é o criador da plantadeira PBDG (Plantio com Baixa Densidade de Gema), tecnologia que reduz os custos da produção, aumenta a qualidade da cana-de-açúcar e, consequentemente, a produtividade. “Se num plantio convencional, mecanizado ou semimecanizado, se gasta entre 18 e 22 toneladas de sementes por hectare, com a máquina PBDG, essa quantidade cai para 3,5 a 4,5 toneladas”, compara.

Utilizada por grandes grupos de estados como Alagoas, Paraíba, Sergipe e São Paulo, a plantadeira já despertou o interesse de produtores de outros países, a exemplo de Guatemala e Colômbia. A máquina pode reduzir em até 60% o custo de plantação da lavoura. “Hoje se gasta em torno de R$ 6 mil a R$ 9 mil para plantar um hectare de cana. Com a PBDG, o gasto passa a variar entre R$ 3.400 e R$ 4 mil. Desta forma, o produtor pode ter o retorno do capital investido já no primeiro ano”, explica Maia.

Outro benefício importante é o tempo de plantio. “O que durava em média uma semana no sistema convencional, acontece de forma instantânea com a PBDG, pois a plantadeira executa cinco operações simultaneamente: sulca, aduba, semeia, faz a compactação e cobre. Isso também traz um ganho na parte hídrica, já que ela abre e fecha o solo em fração de segundos e evita perda de umidade. É como se ganhasse uma lâmina d’água no plantio”, observa Edilson.

Plantadeira PBDG realiza cinco funções simultaneamente

O prêmio
A solenidade de entrega do MasterCana Norte/Nordeste reuniu autoridades, presidentes e representantes de instituições do setor, entre outros convidados. Em sua 13ª edição, o tradicional prêmio promovido pelo grupo ProCana Brasil homenageia organizações e personalidades que se destacam no aprimoramento humano, tecnológico e socioeconômico do agronegócio sucroenergético brasileiro.

“A minha contribuição para o setor é muito singela, mas o princípio agronômico dela é muito importante para a atividade canavieira, pois tudo começa no plantio. Se nós não tivermos atenção agronômica no plantio, não teremos sucesso na nossa atividade, com qualidade, redução de custos e sustentabilidade”, comenta Edilson Maia.

De acordo com o presidente do grupo AgroCana Brasil, Josias Messias, o prêmio reconhece histórias de quem está reconstruindo o setor sucroenergético. “Nós percebemos uma transição do conservadorismo para a modernidade e a mudança só vem com uma forte determinação, pois, somente quem está disposto a fazer o que deve ser feito chegará ao futuro”, diz.

“É preciso compreender como a tecnologia muda a forma de gestão da atividade, com a aplicação de tecnologias já consolidadas, mas também entendendo que a inteligência artificial será fundamental para qualquer usina que queira entrar na próxima década de forma competitiva”, destaca Josias.

Outros alagoanos
Além de Edilson Maia, foram homenageados no MasterCana Norte/Nordeste o deputado federal Isnaldo Bulhões Barros Junior, na categoria liderança política; o CEO da Usina Coruripe, Mario Luiz Lorencatto (executivo do ano); a Cooperativa Pindorama (diversificação de negócios); a Usina Serra Grande (programa de qualidade e produtividade); e a Usina Caeté (bioeletricidade).

Solenidade de premiação do MasterCana em Recife