Curso de Laticínios do Senar traz novas perspectivas de renda para agricultores

Álvaro Müller

Objetivo da família é construir um espaço adequado para aumentar a produção

Na cozinha acalorada de uma casa humilde, isolada no povoado Curral Novo, zona rural do município de Major Isidoro, Sertão alagoano, Vaneide Fausto, 46 anos, a mãe, Maria, 70, e o marido, Félix, 52, mexem com colher de pau e disciplina as panelas ferventes de onde sairão novas remessas de cocada de leite, ambrosia e um delicioso achocolatado.

A produção de doces começou há três meses, depois que os agricultores participaram do curso de Laticínios promovido pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Rural – Senar Alagoas – em parceria com o Sindicato dos Trabalhadores Rurais e a Prefeitura de Major Isidoro. A capacitação trouxe novas perspectivas. O leite que Félix retira de 14 vacas criadas na propriedade – e até então só abastecia uma fábrica de queijos do município –, também passou a ser matéria-prima para outra fonte de renda. Vendidas em feiras livres, eventos públicos ou sob encomenda, as guloseimas do Curral Novo começam a incrementar o orçamento da família.

Produtos já são devidamente embalados

“Como nós já temos a matéria-prima, fica mais fácil. Para cada fornada de cocada, a gente gasta R$ 10,50 e lucra R$ 36”, calcula Félix. “Na Feira de Cultura de Major, em setembro, nós arrecadamos R$ 130 porque a produção era pouca, mas o que foi feito, foi vendido. Já levaram nossos doces para São Paulo, Mato Grosso, Aracaju, o povo gostou e está pedindo mais. Eu quero que vá muito mais longe, espero fazer dez milhões de cocadas”, vislumbra Vaneide, orgulhosa.

O curso do Senar Alagoas trouxe para os agricultores uma preocupação com a profissionalização que ajuda o negócio a prosperar. Os doces já são vendidos devidamente embalados e etiquetados com a marca do empreendimento, código de barras e prazo de validade. O dinheiro arrecadado com as vendas tem sido reinvestido na produção. “Já deu para comprar umas panelas que eu estava precisando e uns adesivos para produzir as embalagens. Ainda faltam algumas coisas, mas a gente vai comprando aos poucos”, diz Vaneide.

A capacitação
O curso de Laticínios do Senar Alagoas capacita os agricultores para o desenvolvimento de produtos alimentícios oriundos do leite, como queijos, manteiga, iogurte, doces e outros derivados. A carga horária é de 32 horas/aula, período em que os alunos aprendem sobre higiene pessoal, ambiente, equipamentos e utensílios; educação ambiental; conservação e tratamento do leite; pasteurização; principais etapas de fabricação; tipos de coagulação; medidas equivalentes; e noções básicas de comercialização.

“Curso ajuda a levantar a autoestima da comunidade”, diz Jeane Vilarins, mobilizadora do Senar AL

Para a mobilizadora do Senar Alagoas em Major Isidoro, Jeane Vilarins, o curso ajuda a levantar a autoestima da comunidade e a identificar o município enquanto polo produtor de doces de qualidade. “Antes nós não tínhamos a oportunidade de oferecer um doce padronizado. Um era mais claro, outro mais escuro, com sabores diferentes, alguns com gosto de queimado. Hoje todos têm o mesmo sabor, um padrão”, observa.

Para Vaneide Fausto, que não perde uma capacitação do Senar Alagoas, o mais importante é aprender. “O ambrosia eu nunca tinha ouvido nem falar e agora sei fazer. Também fiquei muito feliz porque a minha mãe participou com a gente do curso de doces e recebeu o primeiro certificado na vida dela, depois dos 70 anos”, ressalta.

Diante das novas perspectivas, a família do Curral Novo agora pensa em erguer uma estrutura na propriedade para ampliar e diversificar a produção. “Esse é o projeto de 2019, construir o nosso salão, um local adequado, onde a gente possa trabalhar o dia todo, com tudo padronizado. Queremos conseguir o Selo de Inspeção Municipal (SIM) para dar início à nossa fábrica, produzir o nosso queijo e o doce com o nosso próprio leite”, projeta Félix Fausto.