Mapa e Programa Estadual de Construção de Barragens Subterrâneas devem ser lançados em dezembro

Representantes de instituições se reúnem para definir detalhes do lançamento

O Programa Estadual de Construção de Barragens Subterrâneas já está pronto e deve ser colocado em prática no primeiro semestre de 2020. Este programa será implementado com base no mapa de áreas potenciais à construção de barragens subterrânea, resultado do Projeto Zonbarragem, conduzido pela Embrapa Solos e Embrapa Semiárido, Asa Brasil, Governo do Estado e parceiros, com o apoio da Federação da Agricultura e Pecuária (Faeal). A solenidade de lançamento do mapa e do programa está prevista para o próximo mês.

Segundo o secretário executivo de Gestão Interna da Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos, Alex Gama de Santana, o investimento inicial no programa será de R$500 mil para a construção de 50 barragens subterrâneas. “A Semarh tem muitos programas, como os de perfuração de poços, dessalinização, infraestrutura hídrica, conservação de mananciais e o Água para Todos, os recursos são limitados, mas nós não poderíamos deixar de investir nas barragens. A nossa ideia é buscar recursos junto ao Governo Federal para ampliar o programa”, ressalta.

O Programa Estadual de Construção de Barragens Subterrâneas tem como base, além do ZonBarragem, o projeto-piloto desenvolvido pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Rural – Senar Alagoas – em parceria com o Sebrae AL. A barragem construída no município de São José da Tapera tem capacidade para garantir água o ano inteiro, para cinco famílias.

“Foi a partir dessa experiência e do ZonBarragem que nós decidimos mobilizar diversas instituições e contamos com o apoio da deputada estadual Fátima Canuto, que promoveu uma audiência pública para discutir a criação deste grande programa, capitaneado pelo Estado, com o objetivo de beneficiar milhares de agricultores familiares, gerando renda, emprego e desenvolvimento para o nosso semiárido”, relembra o presidente da Faeal, Álvaro Almeida.

“Essa é uma iniciativa importantíssima para Alagoas. No projeto-piloto que fizemos em parceria com o Senar, pudemos perceber como é importante implantar esse programa de barragens subterrâneas e o impacto que ele pode trazer para a agricultura familiar. Não há dúvida de que teremos um avanço muito grande na estruturação e fornecimento de água para essa população”, afirma Ronaldo Moraes, diretor técnico do Sebrae em Alagoas.

Para escolher os locais onde as barragens serão construídas, o programa utilizará o zoneamento de áreas propícias realizado por pesquisadores da Embrapa e parceiros. Inédito no semiárido brasileiro, o estudo chegou a ser interrompido após um corte de recursos financeiros do Governo Federal. Foi quando a Faeal entrou no circuito e provocou o Sebrae Alagoas, que, por sua vez, decidiu apoiar a conclusão da pesquisa.

“O Mapa está sendo finalizado, foi dividido em sete microrregiões e sua validação em campo está sendo concluída até o final deste mês, na microrregião de Batalha. Em seguida, voltaremos para o laboratório e finalizaremos o mapa, para que seja lançado juntamente com o programa de construção de barragens subterrâneas, previsto para dezembro”, pontua a pesquisadora da Embrapa Solos, Sonia Lopes.

“A barragem subterrânea é uma tecnologia social hídrica de estoque de água para convivência com o semiárido que tem tirado muitas famílias da linha da pobreza, gerando alimentos e dignidade para o povo da região”, destaca o coordenador estadual da Asa Brasil, Julio César Dias.