Presidente da Faeal defende inovação na pecuária

Álvaro Almeida na abertura do Encorte (Foto: Morgana Oliveira/Algo Mais Consultoria e Assessoria)

O presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Alagoas – Faeal –, Álvaro Almeida, defendeu a importância da inovação para o desenvolvimento da pecuária, na tarde desta quarta-feira, 18, durante a abertura do 3º Encontro da Pecuária de Corte no Nordeste – Encorte. Promovido pela Start Soluções no Agronegócio e Karina Costa Agromarketing, com correalização do Sebrae AL, o evento acontece até esta sexta, 20, no Centro Cultural e de Exposição Ruth Cardoso, em Maceió. O objetivo é disseminar novos conceitos sobre o segmento.

“A inovação contribui para o desenvolvimento não apenas da pecuária, mas de todo e qualquer setor. Não dá mais para o produtor rural acreditar que tudo que o bisavô, o avô ou o pai dele faziam continuará dando certo. É preciso inovar e buscar tecnologias que reduzam custos e aumentem a produtividade, para que se possa contribuir cada vez mais com a geração de empregos e a distribuição de renda no campo. Isso tem um valor social muito grande”, avaliou Almeida.

O presidente da Faeal ressaltou a importância da pecuária para o desenvolvimento de Alagoas, sobretudo, nesta fase de dificuldades enfrentadas na produção da cana-de-açúcar. “Nós temos a expectativa de que essa crise não se agrave, pois a lavoura canavieira é imprescindível e precisa continuar existindo, mas a pecuária é de grande importância e a tendência é de crescimento. Um encontro como este é de suma importância para o momento que estamos atravessando e aqui, neste encontro, estão especialistas que falarão não só sobre a atualidade, mas sobre o futuro do nosso segmento”, comentou Álvaro.

Matadouros
Almeida ainda apontou a necessidade de criação de matadouros públicos como a grande dificuldade para os pecuaristas alagoanos. “Estamos muito bem da porteira para dentro e isso não é puro otimismo, é uma realidade. A nossa pecuária é de qualidade, tanto leiteira, quanto de corte, mas não temos ainda como entregar os nossos produtos devidamente, por conta dessa deficiência de matadouros. A reclamação não é que o Governo do Estado esteja falhando nesse aspecto, mas ele precisa colocar essa necessidade como prioridade máxima”, destacou o presidente da Faeal.

Para Álvaro, é importante que este tipo de reivindicação também seja exposto em eventos como o Encorte. “Um encontro deste também é um importante espaço para essas questões, no sentido de que a situação possa melhorar a pecuária, este segmento econômico que tanto contribui para o desenvolvimento do estado de Alagoas”, concluiu.