Programas de Saúde do Senar AL chegam a Junqueiro

Reunião na sede do Sindicato Rural de Junqueiro

O Serviço Nacional de Aprendizagem Rural – Senar AL – realiza, no próximo dia 19, a primeira ação dos Programas Especiais de Saúde da Mulher Rural e do Homem em Junqueiro, a 116 km de Maceió. Nesta sexta-feira, 5, aconteceu uma reunião na sede do Sindicato Rural do município, onde todos os detalhes e estratégias dos programas foram apresentados e discutidos.

Participaram do encontro a coordenadora dos Programas Especiais de Saúde do Senar AL, Andrea Almeida; a presidente do Sindicato Rural de Junqueiro, Morgana Tavares; a secretária municipal de Saúde, Kátia Maria Ferreira Neto; a coordenadora de Atenção à Saúde, Ana Cláudia Guimarães Vilela de Almeida; e agente de saúde e mobilizadora dos cursos do Senar AL, Geiza de Araújo dos Santos.

Coordenadora dos programas também visitou unidades de saúde onde os exames serão realizados

A meta é atender 165 mulheres e 132 homens, com ações educativas e realização de exames. As mulheres serão atendidas na Unidade de Saúde Miguel Gonzaga, bairro Mutirão, já os homens, na Unidade Sebastião Cândido Alexandre, centro da cidade. A ação ocorrerá das 8 às 17 horas. Durante a reunião, foram entregues as fichas de cadastramento da comunidade assistida, um trabalho que será feito de porta em porta, por agentes da Secretaria Municipal de Saúde.

“O engajamento dos parceiros é fundamental para o sucesso da ação. A Secretaria Municipal de Saúde, por exemplo, disponibiliza o local para a realização do evento, o que inclui estrutura de consultórios para realização dos exames, enquanto a de Assistência Social mobiliza e orienta a comunidade rural em contato com suas lideranças, por meio de visitas domiciliares e reuniões em grupo”, explica Andrea Almeida, coordenadora dos Programas de Saúde do Senar AL.

Morgana: “Nossa prioridade sempre foi trazer todos os programas do Senar AL”

“A nossa prioridade sempre foi levar todos os programas do Senar AL para os 45 povoados da zona rural de Junqueiro, que representam 70% do município. Já estamos trabalhando na profissionalização e qualificação dos produtores e trabalhadores, agora, esses dois programas chegam para melhorar a qualidade de vida dessa população”, comenta a presidente do Sindicato Rural de Junqueiro, Morgana Tavares.

“Trabalharemos a prevenção, conscientizando homens e mulheres para que cuidem da saúde, para evitar problemas maiores. O índice de câncer é alto e essa ação é uma forma de alertar a população, para que nós não precisemos atuar apenas na parte curativa, depois da doença diagnosticada, mas também na prevenção”, diz a secretária de Saúde de Junqueiro, Kátia Maria Ferreira Neto.

Os programas

“Trabalharemos juntos na prevenção”, afirma a secretária de Saúde, Kátia Ferreira

As atividades de promoção social integram a missão do Senar AL com objetivo de contribuir para a melhoria da qualidade de vida da população do campo. Os programas de saúde têm caráter educativo e preventivo, são centrados na família do trabalhador e do produtor rural, levando educação, informação, prevenção e diagnóstico de doenças, com foco na saúde integral do indivíduo.

No Programa Especial Saúde da Mulher Rural, as palestras, treinamentos, oficinas e realização de exames têm como foco a prevenção e o diagnóstico do câncer de cólo do útero, das doenças sexualmente transmissíveis e das crônicas não transmissíveis, além das hepatites virais. Também há sensibilização sobre higiene pessoal, alimentação saudável e nutrição, saúde reprodutiva, gênero, violência doméstica, entre outros temas.

Andrea Almeida orienta equipe da Secretaria de Saúde de Junqueiro

Já o programa Saúde do Homem Rural previne o câncer de próstata e de pênis, disfunção erétil, DSTs, entre outras doenças, com palestras educativas e realização de exames físicos e laboratoriais, coordenados pelo urologista Mario Ronalsa Brandão Filho, presidente da Sociedade Brasileira de Urologia (SBU), seccional Alagoas, a exemplo do exame do toque retal e do PSA, destinado, prioritariamente, aos produtores e trabalhadores rurais com idade entre 45 e 80 anos, que nunca tenham feito ou estejam com o exame atrasado há pelo menos dois anos.