Seminário aborda inovações para o cultivo de grãos

Evento acontece em Maceió, com o apoio da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Alagoas

Evento reúne produtores, técnicos, pesquisadores e estudantes

Produtores rurais, técnicos agrícolas, pesquisadores e estudantes participam hoje (12) e amanhã (13) do Seminário Alagoano de Produção de Grãos 2018. O evento acontece no Centro Cultural e de Exposições Ruth Cardoso, em Maceió, e é uma realização do Governo de Alagoas em parceria com a Federação da Agricultura e Pecuária do Estado – Faeal –, o Sebrae AL e a Embrapa, entre outras instituições. Com 12 palestras na programação, o seminário aborda as inovações da agricultura voltadas ao cultivo de grãos.

O presidente da Emater Goiás, Pedro Arraes, ministrou a palestra de abertura, sobre o futuro do agronegócio no mundo. Outros palestrantes, de diversas regiões, abordam assuntos relacionados à rotação de cana-de-açúcar com soja; mercado de grãos; integração lavoura, pecuária e floresta; nutrição na cultura da soja; métodos de irrigação em grãos; agricultura de precisão, manejo do solo para altas produtividades de soja, entre outros temas. “Esse evento promove a troca de conhecimentos a partir de algumas experiências exitosas de todo o país, que nós trazemos a Maceió por sugestão dos próprios participantes da Comissão de Grãos do estado”, explica Vânia Brito, gerente da Unidade de Agronegócios do Sebrae em Alagoas.

Álvaro Almeida: “Produção de soja e milho contribuirá cada vez mais com o desenvolvimento de Alagoas”

Para o presidente da Faeal, Álvaro Almeida, o seminário ganha ainda mais importância pelo momento em que vive a agricultura alagoana, em que os espaços deixados pela cana-de-açúcar vêm sendo absorvidos pelos grãos. “Essa discussão já existe desde a época em que o nosso ex-secretário de Estado da Agricultura, Álvaro Vasconcelos, era presidente da Associação dos Criadores. Agora, no governo Renan Filho, ganhou mais força. A produção de soja e milho aumentou, já contribui e certamente contribuirá cada vez mais com o desenvolvimento socioeconômico de Alagoas, sobretudo, na geração de emprego e renda”, avalia.

Henrique Soares: “Desde 2015, tivemos aumento de 3000% na lavoura de soja e de 400% na de milho”

“Alagoas está em processo de diversificação de culturas e nós temos trabalhado para levar tecnologias e processos inovadores para o campo. De 2015 até hoje, tivemos um aumento na ordem de 3000% na lavoura de soja e de 400% na de milho. Neste período, além de importar tecnologias, nós as validamos para que o produtor tenha acesso com a expressão real de cada tecnologia e o seu potencial em nosso território. Já foram implementadas pesquisas com mais de 50 variedades de soja e cem de milho”, ressalta Henrique Soares, secretário de Estado da Agricultura, Pecuária, Pesca e Aquicultura.

Produtores

Vânia Brito, do Sebrae AL, ressalta que temas e palestras são sugeridos pelos produtores locais

Há quatro anos, Sérgio Papini produz soja na Surubana, propriedade localizada na região norte de Alagoas. A produção é escoada para estados vizinhos ou para exportação, por meio de navios que saem carregados do Oeste da Bahia. “A soja tem uma característica interessante. Diferentemente de outras culturas, ela fixa nitrogênio no solo e faz com que ele se enriqueça em matéria orgânica. No quarto ano, tivemos uma produtividade de 62,5 sacas por hectare, apesar das dificuldades climáticas, mas ainda precisamos aprender a calibrar as melhores variedades para cada região”, diz o produtor.

Eduardo Simonetti, do Mato Grosso, e o alagoano Sérgio Papini comemoram resultados da produção de soja

A possibilidade de produzir grãos a custos mais baixos e revendê-los a preços mais atrativos fez com que Eduardo Simonetti, do Mato Grosso, investisse em terras alagoanas. Hoje, com mil hectares divididos em plantações de milho e soja, ele comemora os resultados de um trabalho de cultivo iniciado em março. “O clima não foi muito propício este ano, mas nós vamos conseguir cobrir os investimentos, o que não acontece em uma área de primeiro ano de grãos no Centro-Oeste. Estou muito feliz e já preparando a terra para 2019, que, se Deus quiser, será bem melhor”, vislumbra.

COMPARTILHAR