Senar Alagoas mantém assistência técnica para produtores rurais

Técnicos de campo do Senar seguem fazendo atendimentos

O Serviço Nacional de Aprendizagem Rural – Senar Alagoas – continua auxiliando produtores rurais mesmo em meio à pandemia da covid-19. Pelo projeto Agronordeste, técnicos de campo atuam em aproximadamente 270 propriedades, dando orientações para para quem produz nas áreas de bovinocultura de leite, avicultura, horticultura, fruticultura e ovinocultura.

As ações do Agronordeste acontecem em seis municípios: Major Izidoro, Delmiro Gouveia, Jaramataia, Olho D’Água das Flores, Estrela de Alagoas e Água Branca. Todos os profissionais realizam os atendimentos utilizando equipamentos de proteção individual e tomando todas as medidas de prevenção ao coronavírus preconizadas pelo Ministério da Saúde, pela Organização Mundial da Saúde – OMS – e em atendimento ao decreto do Estado de Alagoas.

“A produção de alimentos é ainda mais importante para manter a saúde da população neste momento de pandemia e os produtores rurais, que têm um papel fundamental na sociedade, também precisam estar protegidos. É por isso que os nossos técnicos de campo não podem parar, pois, além das orientações técnicas, para que o alimento chegue com qualidade à mesa dos brasileiros, esses profissionais também orientam os produtores sobre os cuidados contra a covid-19”, afirma o superintendente do Senar Alagoas, Fernando Dória.

Além do projeto Agronordeste, o Senar atende, com recursos próprios, um grupo de 28 produtores de leite de Major Izidoro. Em alguns casos, quando solicitado pelo produtor, o atendimento acontece via telefone ou online.

Outros projetos
A Unidade de Referência Tecnológica do projeto Forrageiras para o Semiárido continua funcionando no Parque de Exposições Mair Amaral, município de Batalha. O espaço foi cedido pelo Governo do Estado para a realização de pesquisas sobre as plantas forrageiras que melhor se adaptam ao clima da região. Numa área de 1 hectare, são realizados plantios de espécies resistentes aos períodos mais secos.

Os atendimentos do Mais Pasto também seguem acontecendo em todo o estado de Alagoas. O programa capacita pequenos e médios pecuaristas para a utilização racional da pastagem e a gestão da propriedade rural. No nível 1, a nona turma iniciou as atividades recentemente e deve ser atendida durante 15 meses. O nível 2 está com a segunda turma em andamento. O foco é no gerenciamento das propriedades que já passaram pelo nível anterior. Neste caso, a duração da consultoria é de um ano.