Técnica do Senar orienta sobre manejo de aves poedeiras

Maria Eduarda Xavier
Estagiária sob supervisão

As aves destinadas à produção de ovos são conhecidas como poedeiras ou de postura. Para que os ovos sejam considerados de alto valor nutricional é necessário seguir algumas regras de manejo, instalações, ambiente e nutrição.

O manejo dessas aves é feito de forma diferente do corte caipira, são animais que precisam de ninhos, poleiros e principalmente de bem-estar. Segundo Lays Barros, zootecnista e técnica de campo do programa de Assistência Técnica e Gerencial – ATeG – do Senar Alagoas, quanto menos estresse a ave sofrer, melhor para a produção.

“É superimportante que o produtor sempre leve em consideração o bem-estar animal. São aves leves, seu peso gira em torno de 1,5 a 1,6 Kg no fim da postura; são animais que passam um tempo maior dentro da propriedades, entre 2,5 a 3 anos, e, em seus primeiros 6 meses, estão em desenvolvimento. Por isso, é necessário seguir o protocolo de vacinação correta, para protegê-las de doenças como new castle, bouba aviária, marek e coriza”, orienta Lays.

Fases da criação
A criação de aves pode ser dividida em três fases:
1ª Fase – Cria ou Inicial: de 1 dia até 6 semanas de idade;
2ª Fase – Recria: de 7 a 17 semanas de idade;
3º Fase – Produção: de 18 a 76 semanas de idade, podendo ainda se estender de 90 até 120 semanas se for realizada uma ou duas mudas forçadas. Geralmente esta prática está diretamente ligada ao preço do ovo no mercado.

Período de postura
O início do ciclo varia de acordo com as condições de manejo, da época que as galinhas nasceram e da incidência de doenças. Contudo,  geralmente, a postura começa por volta dos 180  a 197  dias, que correspondem a 6 meses e meio de idade .

Avicultura de postura e corte caipira: qual a diferença?
A avicultura de postura se destina exclusivamente à criação de galinhas para produção de ovos. A produção pode se dividir entre ovos para a reprodução e a para o consumo. A diferença que se faz entre uma e outra é a presença do galo.

No manejo de corte caipira, a produção de ovos é voltada para reprodução, então, se faz necessária a presença do galo para que sejam “galados”, ou seja, fertilizados. Já na produção de ovos para consumo, sua presença é dispensável, porque os ovos estéreis se conservam melhor.