Aprendizagem Profissional Rural: programa do Senar forma cidadãos para o mercado e para a vida

Apresentações integram as atividades da disciplina Cidadania

Voltado para a profissionalização de jovens do campo, com idade entre 18 e 24 anos, que estejam cursando ou tenham concluído o ensino fundamental, o Programa Aprendizagem Profissional Rural oferecido pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Rural – Senar – prepara os alunos não só para o mercado de trabalho, mas também para a vida.

Um exemplo recente vem da Usina Caeté, Unidade Marituba, município de Igreja Nova. Na última semana, divididos em grupos, os jovens do curso de Mecânico de Manutenção de Tratores apresentaram trabalhos sobre feminicídio no Brasil e combate à leucemia e a importância da doação de medula óssea. Já a turma do curso de Eletricista Rural abordou o tema dependência química e a difícil retomada para o mercado de trabalho.

As atividades também incluíram uma campanha de arrecadação de alimentos para instituições filantrópicas e distribuição de brindes com mensagens de conscientização para os funcionários. Os trabalhos foram desenvolvidos na disciplina Cidadania, que integra o módulo básico do programa. “Esses jovens precisam ter a consciência do seu papel para que consigamos construir uma sociedade melhor. O futuro só depende das nossas ações e das sementes que são plantadas hoje”, comenta a instrutora do Senar Alagoas Vânia Paes, titular da disciplina.

Alunas falam sobre o combate à leucemia

Integrante do grupo que abordou o tema feminicídio, Carlos Mateus explica como foi a escolha do tema. “O Brasil é o quinto país com mais casos no mundo e nós decidimos aproveitar a oportunidade para conscientizar a turma, mostrar que existe lei para proteger as mulheres, como fazer as denúncias e que é importante não se omitir nem fechar os olhos para este problema”, diz.

A aprendiz Ana Rita participou da equipe que discutiu o combate à leucemia. “Este é o nosso primeiro mês de aulas e estou gostando muito de toda a dinâmica que estamos desenvolvendo. Todos estão muito empenhados em dar o melhor de si para aprender uma nova profissão e conseguir se efetivar aqui na usina”, vislumbra.

Aos 22 anos, Gisele Santos Gonçalves é a prova de que essa efetivação é bem possível. Ex-aluna do curso de Eletricista Rural, ela foi contratada e trabalha há cerca 14 meses como auxiliar administrativo na Marituba. “O programa agregou tanto na vida pessoal, quanto na minha formação profissional. Foram dez meses de aprendizado, gostei muito da área de eletricista e estou gostando dessa área de auxiliar administrativo também. Tive a oportunidade de conhecer duas áreas diferentes e graças a Deus ainda estou aqui”, comemora.

Ex-aluna do Senar e efetivada na usina, Gisele exibe brinde com informações sobre feminicídio

Assistente administrativo lotado no setor de Recursos Humanos da usina, Walter Muniz ressalta a importância do Programa Aprendizagem Profissional Rural. “Este programa agrega conhecimento para esses jovens em todas as áreas, seja administrativa, agrícola ou industrial. Além disso, sempre fazemos recrutamento, em todo início de safra, e essas capacitações auxiliam bastante não só a empresa, na contratação de jovens bem preparados, como também a esses cidadãos que ganham uma nova perspectiva de futuro”, afirma.